Desde a zero hora do último domingo, a Ecovias, que administra o Sistema Anchieta- Imigrantes, e as demais concessionárias de rodovias paulistas, passaram a cobrar pelos eixos suspensos nos veículos de carga. A autorização para as mudanças na cobrança do pedágio foi realizada pela Agência Reguladora dos Transportes do Estado de São Paulo (Artesp). A medida, segundo a agência, é uma forma de viabilizar o congelamento das tarifas de pedágio neste ano. O aumento era para ter ocorrido em 1º de julho mas, diante das manifestações contrárias ao aumento nas tarifas de ônibus, iniciadas em São Paulo e espalhadas pelo Brasil, o governador Geraldo Alckmin optou pelo reajuste zero dos pedágios e balsas, alterando apenas a forma de cobrança para os caminhões.

Fonte: A Tribuna.

Leia mais:- Cobrança do eixo suspenso é iniciada.

 

Sexta-feira, 26 de julho de 2013 - 08h10

Quem precisa utilizar a Cônego Domênico Rangoni na manhã desta sexta-feira encontra dificuldades. O congestionamento no local já atinge oito quilômetros. O acúmulo de veículos se deve ao excesso de caminhões no acesso ao Porto.

O viaduto da Alemoa, na chegada a Santos pela Via Anchieta tem tráfego lento dos Km 63 ao 64. Segundo a Ecovias, os demais trechos estão com fluxo normal. O tempo está encoberto e com chuva em pontos isolados. A visibilidade é parcial em algumas partes da rodovia.

A operação em vigor é a 5x5, com a descida da Serra sendo feita pelas Pistas Sul da Rodovia dos Imigrantes e Anchieta. Para quem segue para a capital, a subida acontece nas Pistas Norte da concessão. 

Fonte: Site Jornal A Tribuna, http://www.atribuna.com.br.

Leia mais:- Conêgo Domênico Rangoni tem oito quilômetros de fila.

 

Contran publica deliberação sobre fiscalização do tempo de direção de motoristas

Sex, 12 de Julho de 2013 10:53

Confira Deliberação do Contran na íntegra:

DELIBERAÇÃO No- 138, DE 10 DE JULHO DE 2013

Revoga a Resolução nº 417/2012, do Conselho Nacional de Trânsito - CONTRAN, que altera o artigo 6º da Resolução nº 405, de 12 de junho de 2012, que dispõe sobre a fiscalização do tempo de direção do motorista  profissional de que trata o artigo 67- A, incluído no Código de Transito Brasileiro - CTB, pela Lei n° 12.619, de 30 de abril de 2012, e dá outras providências.

O PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO, "ad referendum" do Conselho Nacional de Trânsito - CONTRAN, no uso das atribuições que lhe confere o art.12, inciso I, da Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997, que instituiu o Código de Trânsito Brasileiro, combinado com o art. 6º do Regimento Interno daquele Colegiado, e nos termos do disposto no Decreto nº 4.711, de 29 de maio de 2003, que trata da coordenação do Sistema Nacional de Trânsito e,

Considerando a decisão que deu provimento ao Agravo Regimental para revogar a liminar concedida no Mandado de Segurança nº 0046-34.2013.5.10.0000, resolve:

Art. 1º Revogar Resolução nº 417/2012, do CONTRAN.

Art. 2º Esta Deliberação entra em vigor na data de sua publicação.

ANTONIO CLAUDIO PORTELLA SERRA E SILVA 

 

Fonte: NTC&Logística

Leia mais:- Contran publica deliberação sobre fiscalização do tempo de direção de motoristas.

 

Quarta-feira, 24 de julho de 2013

Motoristas que precisam usar as pistas do Sistema Anchieta-Imigrantes (SAI) nesta quarta-feira encontram congestionamento de sete quilômetros na Cônego Domênico Rangoni, sentindo Guarujá. Esse fluxo reflete na Anchieta, para quem vai de Cubatão a São Paulo, onde o trânsito também está congestionado, devido o acesso de caminhões à Cônego. O problema ocorre desde a manhã de terça-feira.

Segundo a Ecovias, os demais trechos estão com fluxo normal. O tempo está com garoa e a visibilidade é parcial em algumas partes da rodovia.

O Sistema Anchieta-Imigrantes funciona em Operação Normal 5x5, com a descida da Serra sendo feita pelas pistas Sul da Rodovia dos Imigrantes e da Via Anchieta. Para quem segue para a capital, a subida até o planalto é feita pelas pistas Norte das duas rodovias. Caminhões podem utilizar o trecho de serra da Imigrantes sentido capital.

Problemas desde terça-feira

Desde as primeiras horas da manhã de terça, a Via Anchieta e as duas pistas da Cônego Domênico Rangoni praticamente travaram. O excesso de caminhões e as obras da Ecovias no Km 55 da Via Anchieta, para construção do novo anel viário de Cubatão, contribuíram com o engarrafamento. Aquele ponto é considerado um dos grandes gargalos do (SAI) e justamente onde fica o entroncamento com as rodovias Padre Manoel da Nóbrega e Cônego Domênico Rangoni. 

Como a saída 55-A destinada às cidades do Litoral Sul está bloqueada para os reparos, o acesso a Itanhaém, Mongaguá e Peruíbe é feito metros à frente, pela 55-B, onde também passam os caminhões e carros rumo ao Guarujá. Por volta das 14 horas, o reflexo da lentidão no trevo de Cubatão era sentido no Planalto da Via Anchieta. A aposentada Ieda Araújo Mackevicius vivenciou esse drama. 

Vale lembrar que, em junho, a Ecovias apresentou a diversos órgãos um plano de contingenciamento para Cubatão em casos de filas de caminhões. Na proposta, estariam disponíveis as imagens de câmeras da Cônego Domenico Rangoni. Com isso, seria possível um monitoramento constante do tráfego no Polo Industrial. Com trânsito travado, a ideia era contatar as principais rodoviárias da Baixada Santista e Grande São Paulo para sinalizar a condição das estradas no Planalto e na entrada de Santos.

Fonte: Site Jornal A Tribuna, http://www.atribuna.com.br.

Leia mais:- Excesso de caminhões complica trânsito na Domênico Rangoni.

 

Atualizado às 08h01 

As manifestações desta quinta-feira, no Dia Nacional de Lutas, já isolam as cidades da Baixada Santista e complicam o trânsito entre elas. 

Os protestos, promovidos por mais de 80 sindicatos representando oito centrais sindicais, bloqueiam pontos estratégicos de acesso aos municípios. A expectativa é de que as ações terminem apenas ao longo desta tarde.

O comunicado enviado pelos organizadores dos movimentos na região informa que os trabalhadores interrompem indústrias, terminais portuários e importantes rotas de trânsito, além da travessia de balsas. Bancos também estarão fechados. Na Baixada Santista, a paralisação se concentrará nas cidades de Cubatão, Guarujá, Praia Grande, Santos, São Vicente. 

Pelas informações divulgadas, é possível perceber que dá para se deslocar dentro de alguns municípios, mas, como as entradas das principais cidades estarão fechadas, transitar entre uma e outra será praticamente inviável. Este é o caso de Cubatão, que, por sua posição geográfica, cortada pelas principais rodovias da região, acaba ficando isolada. 

Isso porque os manifestantes fecham a Via Anchieta e a Rodovia Cônego Domênico Rangoni. Para tentar minimizar os transtornos, agentes da Companhia Municipal de Trânsito (CMT) atuam desde as primeiras horas do dia. Os serviços públicos, porém, funcionam normalmente.

Ao procurar a malha urbana como alternativa, os motoristas que usam estas rodovias podem congestionar também as vias municipais, o que tornará, segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura, quase impossível o deslocamento de veículos dentro da Cidade.

Praia Grande

O mesmo ocorre em Praia Grande, que terá fechada os acessos pela Rodovia Padre Manuel da Nóbrega e pela Ponte do Mar Pequeno. Procurada, a Secretaria de Trânsito da Cidade informou que reforçará o contingente de agentes nos arredores onde poderão ocorrer manifestações para auxiliar o fluxo de veículos nestes trechos. 

Sobre os serviços públicos, assim como também o transporte coletivo municipal, a Prefeitura informa que não há previsão de nenhum tipo de paralisação.

São Vicente 

Já em São Vicente, a Prefeitura informou, por meio da Secretaria de Transportes (Setrans), que os agentes de trânsito da Cidade atuarão normalmente nas ruas e serão orientados para amenizar possíveis transtornos.

Como um dos pontos que serão paralisados é a Divisa, a Setrans orienta como rota alternativa a Avenida Nossa Senhora de Fátima e a Linha Vermelha (por meio da Avenida Monteiro Lobato pelo Morro da Nova Cintra). Mas, a entrada de Santos e o Morro da Nova Cintra estão incluídos nos pontos onde ocorrerá bloqueios. 

Em relação ao funcionamento de hospitais e prontos-socorros, a Secretaria de Saúde informa que todas as unidades abrirão normalmente, entretanto, a greve pode afetar o deslocamento dos funcionários.

Santos

Assim como no restante da região, em Santos, o trânsito também promete dar um nó, tendo em vista que os trabalhadores estão na Divisa, na travessia litorânea e prometem travar a entrada da Cidade, a Avenida Perimetral, o Morro da Nova Cintra e os dois sentidos do Túnel Rubens Ferreira Martins.

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET-Santos) recomenda aos motoristas que evitem trafegar pelos locais onde estão previstas as manifestações. Agentes realizarão os bloqueios necessários, desviando o trânsito para rotas alternativas. O transporte coletivo, conforme a companhia, também será direcionado conforme a necessidade momentânea. 

A Piracicabana, que opera o transporte coletivo em Santos, informa que a frota de ônibus saiu das garagens normalmente nesta quinta-feira. Em nota, a empresa diz que trabalha para administrar da melhor forma possível a operação diante de quaisquer irregularidades que possam ocorrer durante o trajeto e que, caso seja necessário, serão providenciadas medidas paliativas visando a segurança e qualidade da prestação de serviço. 

Já a Secretaria de Saúde de Santos informa que os Pronto-Socorros funcionarão normalmente, a exemplo do serviço prestado pelo Samu.

Já a assessoria de imprensa da EMTU informou que os motoristas que operam nas linhas intermunicipais estão orientados a, sempre que possível, fazer desvios para percorrer os trajetos até o final. As rotas alternativas serão procuradas com orientações das empresas municipais de trânsito e da Polícia Rodoviária, quando envolver a Anchieta.

Guarujá

A assessoria de imprensa da cidade informa que não foi oficialmente informada pelos sindicatos sobre a paralisação e que adotará procedimentos de rotina. Caso os manifestantes bloqueiem o acesso à Rodovia Cônego Domênico Rangoni, o trânsito de veículos leves será desviado para a Avenida Santos Dumont. Com relação aos caminhões, dependerá da Polícia Rodoviária Estadual (PRE). Ônibus municipais funcionarão normalmente. 

Travessia de balsas

A Dersa, responsável pela travessia de balsas entre as cidades de Santos e Guarujá, foi procurada pela Reportagem e informou que não vai se pronunciar sobre o as

sunto. A assessoria de imprensa disse que o serviço está programado para ocorrer normalmente nesta quinta-feira e que a empresa se posicionará caso as operações sejam, de fato, paralisadas pelo movimento. 

Rodovias 

A Ecovias, concessionária do Sistema Anchieta-Imigrantes (SAI), afirma que já entrou em contato com a Polícia Militar Rodoviária e com os órgãos de trânsito

 da Baixada Santista. Caso os bloqueios se concretizem, será analisada a melhor providência a ser tomada pela empresa para aliviar possíveis congestionamentos, também na Rodovia Cônego Domênico Rangoni e Rodovia Padre Manuel da Nóbrega. 

Táxis 

Duas empresas que operam táxis na região se preparam para o aumento da demanda, já que o trânsito e o transporte coletivo prometem ficar comprometidos. Mas, segundo Alexandre Pereira Ribeiro, presidente da Cooperativa Rádio Táxi de Santos, até mesmo os motoristas de táxi podem ter problemas. 

São 150 profissionais recebendo a orientação de estar nas ruas para atender ao movimento maior de passageiros. ''Não podemos parar. Mas, se estiver tudo

Jussiara dos Santos Oliveira, atendente da Onda Azul Rádio Táxi, disse que as 110 unidades da frota deverão estar nas ruas. ''Não sabemos exatamente como vai ser, mas todos estarão trabalhando''.  parado, nem mesmo eles poderão circular direito''. 

Fonte: Site Jornal A Tribuna, http://www.atribuna.com.br, acessado em: 11/07/13.

Leia mais:- Saiba os locais em que ocorrem protestos na Baixada Santista nesta quinta-feira.

 
www.vozvodimdom.com