Motoristas que ficaram presos no congestionamento da Via Anchieta, na noite deste domingo, foram vítimas de arrastão. Usuários do Sistema Anchieta-Imigrantes (SAI) entraram em contato com A Tribuna On-line para relatar momentos de terror que passaram no trecho de serra.

O SAI estava funcionando na Operação Subida 2x8, com as duas pistas da Imigrantes e a Norte da Anchieta voltadas para a capital paulista. Com isso, a Pista Sul da Anchieta era a única opção para aqueles que vinham à Baixada Santista e registrava lentidão naquelas proximidades, num trecho de sete quilômetros. 

Segundo testemunhas, por volta das 19 horas, bandidos se aproveitaram da lentidão na altura dos bairros Cota, em Cubatão, e praticaram vários assaltos. Entre as vítimas estava Graziela Rodrigues, acompanhada do pai, José Luís dos Santos, da mãe, de uma prima e de uma criança de 5 anos. Quem dirigia o veículo era o pai da moça.

Eram cerca de 18h30 quando a família passava pela Pista Sul da Via Anchieta, na altura da Cota 95. José Luís logo notou marginais descendo do morro em direção aos carros.
'
'Eu desconfiei na hora e disse: É assalto''. Os vidros do veículo estavam levantados, mas um dos bandidos bateu, pedindo para abrir. José Luís não abriu, e o marginal deu uma coronhada na janela, obrigando-o a baixar. ''Ele já foi pedindo tudo que tínhamos. Dei meu relógio''. Assustada, a filha de José Luís deu dinheiro ao marginal. ''Acho que eram uns R$ 20. Nem vi quanto era. Amassei e dei''.

Graziela conta que, em um certo momento, quando uma BMW passou por outros motoristas, um dos marginais chegou a atirar na direção do veículo, com o objetivo de intimidar. Logo depois, os bandidos seguiram para o carro de trás de onde estava a jovem, e seguiram praticando mais assaltos. 

Mesmo assustada, Graziela disse que não sabe se a família vai registrar Boletim de Ocorrência e contou que não presenciou nenhum policial rodoviário ou agentes da Ecovias no local. ''A gente faz BO e o que acontece? Nada''. 

Na contramão

O corretor de café Raul Henrique de Castro Rocha contou que estava dentro do carro com a esposa quando testemunhou a ação dos criminosos.

“Eram vários garotos, vi quando pelo menos quatro cercaram o carro na frente do meu. Os motociclistas seguiram na contramão para fugir deles”, conta.

Não bastasse o susto, o que mais indignou o santista foi a ausência da Polícia Rodoviária no trecho. Ele diz que também tentou contato com a Ecovias, concessionária que administra as estradas, mas o telefone estava congestionado.

Procurada, a Ecovias informou que recebeu chamado para verificar a possibilidade de arrastão na Anchieta e o repassou à Polícia Militar Rodoviaria.

A Tribuna também fez contato com a corporação, que informou sobre a presença de uma viatura em patrulhamento no trecho no momento do arrastão. Ainda segundo a Polícia Rodoviária, houve reforço de mais cinco carros depois do chamado, mas ninguém foi detido e também não houve registro de Boletim de Ocorrência.

Fonte: Site do Jornal A tribuna, acessado em: 09/09/13.

www.vozvodimdom.com